Swing

Swing

10375491_913689478681825_18807635917662291_n

Presente

O swing constitui uma prática do sexo social, por norma entre casais, mas podendo assumir variantes definidas consoante as fantasias e os gostos de cada um.

Existem várias visões e abordagens ao Swing, desde casais que apenas se aventuram em preliminares e troca de carícias, acabando cada qual por ficar com o seu parceiro habitual na altura da penetração,  os casais que apenas procuram singles femininos e/ou
masculinos e  ainda os casais que preferem a troca completa de parceiros.

Independentemente das definições que se lhes queira apensar,  é evidente que todas as variantes do swing deverão ser aceites por aqueles que pretendam assumir-se como swingers e liberais, por mais não serem do que o resultado das fantasias que cada casal pretenda realizar. Essas, desde que respeitem sempre a liberdade individual de todos os envolvidos, têm toda a legitimidade.

Mais interessante será o facto de conceitos com grande peso na sociedade atual pouco ou nada se aplicarem aos casais swingers.  Aquilo que muitos fazem às escondidas, e por norma é considerado traição, passa a ser não só permitido, como até incentivado e acordado pelo próprio casal.

Seguindo a mesma ordem de ideias, infidelidade é coisa que também não existe entre membros de um casal swinger, pois o consentimento mútuo para que exista envolvimento sexual com outras pessoas impede que se instale a tantas vezes perniciosa perda ou quebra de confiança entre si.

Passado

Dificilmente se conseguirá definir o momento histórico no qual  surgiu o
swing, do mesmo modo que se torna incerto identificar onde o mesmo se definiu tal qual o conceito que hoje conhecemos.

O sexo em grupo é, desde há muitos anos, uma experiência reconhecida pela grande maioria das pessoas, por exemplo,  já praticado em orgias romanas.

Quanto à sua aceitação,  embora se faça uma abordagem critica  e com juízos de valor segundo os ideais culturais e sociais, existe atualmente um grande número de casais Swingers que adotaram este estilo de vida não estabelecendo relações polígamas, isto é, existindo apenas contacto físico e sexual, sem a afetividade ser um ponto essencial (aplicadas ao conceito em definição). Deste modo, a relação entre o casal não é comprometida, funcionando até como um fortalecimento do seu relacionamento.

11133839_951354241565641_3532211429783433877_n

O casal

O Swing não é, no entanto, uma prática sem riscos. Quando a decisão de explorar as fronteiras sexuais não é suficientemente forte e ponderada, tendo o casal refletido e amadurecido a ideia, o Swing poderá fragilizar a sua relação. Um dos mais importantes fatores que define um swinger, é a capacidade em comunicar com o seu parceiro, definindo as suas regras e limites, tomando as suas decisões em sintonia e acordo.

O Swing não pode, nem deve ser visto como um meio de resolver problemas conjugais, nem como salvação de relações por si já fragilizadas. Uma situação destas, pode ter um impacto devastador na relação do casal e pode afetar também outros casais que convivam com essas situações.

“A minha liberdade termina onde começa a dos outros”.

Dito isto, o Swing é também um campo de descoberta, uma fronteira sexual cheia de prazeres e mistérios que podem trazer ao casal a realização das suas mais loucas fantasias. São vários os motivos que podem levar um casal a decidir-se pela prática do swing, sendo um dos mais invocados, inevitavelmente, o ser esta uma boa forma de contrariar a monotonia que se tende a instalar numa vida a dois. Do que não restam dúvidas é que o swing é, essencialmente, sexo social.


Entendendo-se por isso que é uma atividade social baseada na sexualidade devidamente consentida e praticada entre adultos conscientes e responsáveis.  Não havendo também  limitação ou imposição de género, o facto é que a maioria dos casos ocorre com casais heterossexuais. No entanto e como liberais, a cada casal deve ser permitido o respeito e a liberdade de fazer as suas próprias escolhas.

11141527_10200454363119689_1698608698_o

O nosso Clube

Em primeiro lugar gostariamos que percebecem que num clube de Swing, não existem obrigatoriadades. Existe sim, um código de conduta, que deverá consultar na nossa secção de Regras.

O nosso clube é um espaço pensado e estruturado a pensar na comunidade swinger, de forma a disponibilizar todo o conforto e condições para que as vossas noites sejam inesquecíveis.

Exitem duas áreas distintas: A pista e os quartos.

Pista: Na pista poderá ver vários casais a dançar e a conversar. É a zona onde estão situados os nosso dois bares e é o ponto fundamental de interação entre todos. Será nesta zona que as animações proporcionadas pelo clube serão efetuadas. Poderão, em ocasiões, ocorrer trocas de afetos e situações mais explicitas entre casais.

A pista é uma zona de fumadores.

Quartos: O clube tem a vossa disposição variados espaços, para que possam dar asas à imainação. Poderão usar os quartos sozinhos ou acompanhados, de acordo com a vossa vontade. Existem ainda um quarto comunitário e alguns espaços comuns, que poderão utilizar para o mesmo efeito, sendo que aqui são espaços abertos e visualmente acessíveis a qualquer casal.

Os quartos é uma zona de não-fumadores e não poderão ser levadas bebidas para os mesmos.

Acima de tudo, poderão esperar noites repletas de casais bonitos, cultos e liberais. A diversão é garantida!

11130907_10200454363079688_1707371134_o

Dúvidas Frequentes

O que vestir?

Começando pela  roupa das mulheres, é importante frisar que uma mulher não precisa de usar roupa que faça denegrir a sua imagem. Roupa sexy é extremamente aceitável, mas para muitas mulheres a roupa sexy, pode ser apenas um vestido justo, com um tamanho aceitável.

Uma mulher não é precisa usar decotes até ao umbigo para se sentir bem com o seu corpo. Um vestido sexy ou um top sexy e uma mini-saia, para as mais arrojadas um catsuit, um corpete ou lingerie. Importante é que uma mulher se sinta bem e confortável.

O calçado, esse é aconselhável que usem saltos altos, pois tanto no swing como numa noite em que se vestem para sair, não há nada pior que ver uma mulher com bom gosto na parte de cima e depois estar a usar ténis! Os saltos altos fazem parte da indumentária sexy e sensual de qualquer mulher!

Um homem pode usar roupa mais casual, umas calças de ganga, uma camisa, polo ou mesmo t-shirt.

Em festas com dress-code obrigatório, deverão cumprir as regras estabelecidas.

 

Somos obrigados a alguma coisa?

Não!

Não é a palavra mais importante no meio swinger. Os gostos, opiniões e vontades de cada individuo devem ser respeitados por todos. Ninguém é obrigado a nada por frequentar um clube de swing.

 

Como abordar outro casal?

Abordar um casal, deverá ser feito da mesma forma que abordaria uma pessoa naturalmente. Tenha sempre respeito e haja com normalidade!

A única diferença numa conversa entre swingers, é que as temáticas tendem a ser relacionadas com o meio, sendo que até aqui se respira liberdade.

O interesse noutro casal deve ser demonstrado sem receio, e de forma respeitadora. Não tenham medo da resposta, cada casal tem o seu tempo, e cada um tem os seus gostos.

 

Onde fica o clube?

Esta informação só é divulgada pelos nossos meios de comunicação oficiais. Poderá encontra-los na área de contato.

 

Existem Singles no Key?"

No Key não podem entrar singles, o acesso é exclusivo a casais.

 

Horário de Funcionamento

O Key Club abre todas as 6ª Feiras, Sábados e Vésperas de Feriados.

Horário:

23:00 - 6:00

 

Preços - Consumo Mínimo (Por casal):

1ª Visita: 25 Key's Consumíveis.

6ª Ferias e Vésperas de Feriados: 15 Key's Consumíveis.

Sábados: 25 Key's Consumíveis.

O Consumo Mínimo nas festas temáticas poderá ser diferente do habitual, dependendo da produção envolvida no evento, sendo essa informação sempre disponibilizada.

error: Conteúdo exclusivo Key Club.